Tendência

Bancada federal do Rio Grande do Norte repercute as manifestações

Em frente ao Congresso Nacional, manifestantes criticaram recentes decisões do Supremo

Integrantes da bancada federal potiguar repercutiram as manifestações do dia 7 de setembro pelo país. Em seguida ao pronunciamento do presidente Bolsonaro em Brasília e São Paulo, o deputado federal General Girão (PSL), que acompanhou o ato convocado pelo presidente na avenida Paulista, reforçou a fala do chefe do Executivo, sem citar o nome do ministro Alexandre de Morais: “Não haverá mais submissão aos desmandos ditatoriais do semideus”.

O general Girão adiantou, na mesma linha do discurso presidencial, que “de agora em diante, quem jogar fora das quatro linhas vai receber na mesma moeda. Liberdade para todos os presos políticos.”

Ao ser questionado sobre o STF, Girão dizia mais cedo à rádio Jovem Pan, que o momento é de respeito à Constituição “e não de exigir, precisamos que os Poderes entendam sua missão constitucional para que o Brasil volte a ter paz, não é hora de é hora de pedir fechamento de nada”.

Girão reclamou que “essa responsabilidade toda não pode ser colocada na cabeça do presidente, essa responsabilidade também é nossa, no Congresso Nacional, que está calado e passivo”, diante do fato de que até hoje o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) está preso.

O deputado Rafael Motta (PSB) expôs que “não podemos esquecer que o 7 de setembro representa a independência deste país. Que não paremos de lutar por sua liberdade e por dias melhores, longe de tensões, conflitos e interesses antidemocráticos”.

O deputado Walter Alves (MDB) associou “independência à democracia” e pediu “respeito à Constituição. Unidos pelo Brasil”.

A deputada Carla Dickson (PROS) comemorou “viva a Independência do Brasil, defendendo, genericamente, que juntos podemos construir o Brasil que queremos”.

Mas um dia antes, Dickson afirmava que ia pra rua “em favor da liberdade, família, democracia, liberdade de culto e de opinião, ordem e progresso pelo meu Brasil”.

O deputado João Maia (PL) disse apenas isso no Instagram: “Que o  nosso Brasil possa ser iluminado pelos raios da liberdade e independência”.

Para o deputado federal Beto Rosado (PP), são datas como essa que lhe “impulsionam a trabalhar mais e fazer o melhor para o meu país e meu Estado, o Rio Grande do Norte”.

O deputado Benes Leocádio (Republicanos) afirmou que  “a independência do nosso país é uma conquista que jamais pode ser esquecida, pois inspira todos nós continuarmos empenhados no importante dever de fazer do Brasil uma grande nação”.

Já na segunda-feira (06), a senadora Zenaide Maia (PROS) antecipava: “Aconteça o que acontecer neste 7 de setembro, o Brasil já saiu perdendo. O presidente conseguiu transformar uma data cívica em um dia de divisão, animosidade e vazias tentativas de demonstrar uma força que já não possui, porque já não governa”.

A deputada federal Natália Bonavides (PT), que esteve no ato do Grito dos Excluídos, em Natal, afirmou que foi “um dia de luta dos setores populares e movimentos sociais” e quem participou do protesto “defendeu a democracia”.  “As pessoas que estão aqui estão lutando para que toda população seja vacinada, para que as pessoas tenham condições de entrar no mercado e comprar o básico”, disse.

Crítica

O senador Jean Paul Prates (PT) declarou que o 7 de Setembro “já se iniciava sob a marca do desrespeito às leis e aos princípios democráticas”, porque as manifestações em Brasília, “não são de pequenos empreendedores que lutam no Brasil de hoje para sobreviver”, em referência à manifestação em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.
Prates avaliou que as manifestações “pertencem ao grupo de empresários que financiam manifestações antidemocráticas e que devem ser processados e punidos por isso”
.

O senador finalizou: “Bolsonaro tenta a sua última cartada. Não vamos permitir que ele jogue contra o Brasil e a democracia”.

Governadora, presidente da AL  e prefeito comentam a data

A  governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), também se manifestou sobre o dia 7 de Setembro e os atos públicos realizados pelo país, afirmando que “a nossa independência depende da manutenção da democracia, que só permanece viva com o respeito, a tolerância e o fortalecimento das nossas instituições”.

Para a governadora do Estado, “só assim construiremos uma nação cada vez mais livre, desenvolvida e com justiça social para todos e todas”.

Prefeito

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), disse que “independência é uma conquista diária. Está na luta por um País mais justo, desenvolvido e sem fome. Está na defesa dos direitos sociais e no trabalho honesto”.  Dias ainda completou: “Vamos continuar lutando pelo Brasil que todos queremos e sonhamos! Com liberdade e mais oportunidades para todos”.

Assembleia

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB), declarou em rede social que “o que faz nosso país gigante é o sentimento forte que vem dentro do peito de cada brasileiro: o orgulho de pertencer a essa grande nação”.

Ezequiel continuou, dizendo que “isso se constrói todos os dias com independência, liberdade e democracia”.

Tribuna do Norte

RAMON VELLASCO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios detectado

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.