Governo alerta para aumento de casos no Rio Grande do Norte

Nota assinada pelo Governo, Ministério Público, Femurn, entre outros, convoca população a manter cuidados, como máscara, distanciamento e a vacinação.

Preocupados com o aumento da taxa de ocupação de leitos em todo o estado do Rio Grande do Norte e também o aumento de casos Covid, representantes da sociedade e o governo do Estado do Rio Grande do Norte se reuniram e escreveram uma nota conjunta com medidas preventivas importantes no combate à pandemia.

As prefeituras, os Ministérios Públicos e a Defensoria Pública têm acompanhado, nas duas últimas semanas, alterações do mapa do indicador composto evidenciando um aumento do número de casos em todo Estado. O indicador composto, parâmetro utilizado para dar cor ao mapa do RN, tem mostrado o Estado mais amarelo e isso é um sinal de alerta para todos os potiguares. Além disso, está havendo, dia a dia, aumento da taxa de ocupação de leitos e do número de solicitações por leitos críticos.

De acordo com dados do Governo do Estado, no início de outubro, havia 164 pacientes internados, dos quais 108 não estavam vacinados. Ao todo, 64% das internações foram de pessoas não idosas que não estavam vacinadas. Hoje, a plataforma Regula RN aponta 46,2% de ocupação de leitos críticos no Rio Grande do Norte. 47,6% na região metropolitana, 38,6% na região Oeste e 58,3% na região do Seridó, que há poucos dias apresentava uma ocupação abaixo dos 10%.

Diante disso, no dia 27 de outubro, reuniram-se, num momento de retomada do movimento “Pacto Pela Vida”, o Governo do Estado, Prefeitos de vários municípios representados pela FEMURN, Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública Estadual,  Procuradoria Geral do Estado, COSEMS e vários Secretários Municipais de Saúde, além das representantes das URSAP’s, para discutir estratégias de como fazer esse novo enfrentamento numa fase da pandemia em que “é evidente que o principal ponto é o aumento da cobertura vacinal, ou seja, a aplicação da segunda dose da vacina, visto que o estado tem hoje 206.357 pessoas que não retornaram para garantir sua segunda dose”.

“Esse é o ponto mais importante em nossa discussão, devido a eficácia comprovada da vacinação. Somente com a vacina que conseguiremos atingir um patamar de controle da pandemia. Além disso, é importante ressaltar a importância do Passaporte Vacinal para acesso a ambientes e aglomerações que será a garantia de que as pessoas estejam vacinadas”, afirma Lyane Ramalho, secretária adjunta da SESAP.

A nota convoca e reforça a importância da manutenção dos protocolos sanitários e completar o esquema vacinal.

“O problema principal é aumentar a cobertura vacinal, principalmente a da segunda dose da vacina, bem como ressaltar a importância do passaporte vacinal para acesso a ambientes de aglomerações. No RN, segundo a  plataforma RNMAISVACINAS, temos mais de 200 mil pessoas que não voltaram para fazer a sua segunda dose e é provado que o aumento do número de internações e ocorrência de óbitos estão relacionados, em boa parte dos casos, à ausência de imunização ou de completude do esquema vacinal ou ausência da 3ª dose de reforço”, diz a nota.

Assinaram a nota a Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Norte, Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte, Ministério Público do Rio Grande do Norte, Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte, Procuradoria da Republica no Rio Grande do Norte e Defensoria Pública do Rio Grande do Norte.

Aplicação de vacinas diminui 45% no Estado

A nota conjunta com o pedido para que a população mantenha as medidas de controle da pandemia chega quando o nível de vacinação tem caído no Estado. A aplicação de doses da vacina contra a covid caiu 45% entre os dias 1 e 26 de outubro, em comparação com o mesmo período de setembro, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Até o dia 26 de outubro, foram aplicadas 365.931 doses, pouco mais da metade dos imunizantes aplicados entre 1º e 26 de setembro: 664.749. No mesmo intervalo de tempo de agosto, 768.979 doses tinham sido aplicadas. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap), a redução deve-se ao baixo índice de procura da população pelas vacinas.

A meta do Governo do Estado era vacinar todos os potiguares maiores de 18 anos com ao menos uma dose até setembro. Cerca de 2.295.408 adultos receberam ao menos uma dose, o que representa 86% do objetivo atingido para este grupo. O estado ainda possui 362.292 pessoas maiores de 18 anos que não receberam nenhuma dose. A Sesap informou que faz uma busca ativa junto aos municípios para localizar e imunizar os potiguares que ainda se recusam a receber o imunizante contra a covid-19, portanto não há previsão para que o estado atinja a imunidade coletiva com 75% da população geral vacinada com as duas doses.

De acordo com o médico epidemiologista Ion de Andrade, embora o cenário apresente bons índices, como o avanço da vacinação e a redução de internações, a quantidade de pessoas que ainda resistem aos imunizantes é uma ameaça ao controle da pandemia. “O fato das pessoas não buscarem se vacinar tendem a construir um cenário negativo. É preocupante porque nessas pessoas a doença acontecerá como ela sempre aconteceu sem a vacinação. Elas podem desenvolver casos graves na mesma proporção de antes. Se forem jovens serão mais raros, mas não serão inexistentes”, explica.

A Sesap afirma ainda que registra irregularidade na busca pela vacinação entre os adolescentes e enfrenta problemas de desabastecimento de doses do imunizante da AstraZeneca devido a paralisação de produção na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) por falta de insumo. Representantes da pasta acreditam que os dois fatores contribuíram para diminuição no ritmo da campanha de vacinação contra o coronavírus. Entre o público-alvo de 12 a 17 anos, somente 56% do grupo (180.693) recebeu a primeira dose.

Para Ion de Andrade, o atraso na vacinação cria espaço favorável para disseminação da variante Delta, além do surgimento de novas variantes do coronavírus. “Isso cria um ambiente no qual um certo grupo vai continuar compartilhando o vírus e isso é sempre um fator de preocupação para o surgimento de novas variantes. Se surgirem variantes nesse cenário elas podem ser capazes de driblar a imunidade produzida pela vacina. Isso significa que as vacinas teriam que ser atualizadas, mas não significa que a gente não teria como se defender. A situação não está resolvida em definitivo”, diz.

Até a primeira metade de outubro, o Rio Grande do Norte registrava 173 amostras positivas para a variante Delta em 30 municípios. Os resultados são referentes a amostras coletadas nos meses de agosto e setembro que tiveram seu resultado divulgado em 15 de outubro pelo Laboratório Central Dr. Almino Fernandes (Lacen-RN).

Sesap recebe mais lotes com doses de vacina

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recebeu na tarde desta sexta-feira (29) um novo lote de vacinas para imunizar o povo potiguar contra a Covid-19. Divididos em três voos, chegaram 439.570 imunizantes da Pfizer, da Astrazeneca/Fiocruz e Coronavac/Butantan.

Grande parte desse lote é fruto do trabalho de gestão da Sesap em busca de ampliar e acelerar o processo de proteção por meio da vacinação, além de zerar o déficit de segunda dose da Astrazeneca, que hoje atinge mais de 100 municípios potiguares, que até meados desta semana necessitavam de mais de 70 mil doses que estavam em atraso.

Na quinta-feira (28), a secretaria encaminhou para as cidades pouco mais de 29 mil vacinas, entre Astrazeneca e Pfizer, para atender parte da lacuna formada por falta de doses repassadas pelo Ministério da Saúde. Com este lote, que conta com 110 mil unidades de Astrazeneca, o déficit será zerado.

Nesta pauta de distribuição feita pelo ministério, apenas o RN, por conta da requisição feita pela Sesap, e mais três estados estão recebendo Astrazeneca.

O RN ainda é o único a receber neste momento doses de Coronavac. São 281.600 vacinas, que serão destinadas a atender o público acima dos 18 anos que ainda não iniciou o seu processo de imunização contra a Covid-19. O lote desta sexta-feira é complementado ainda por 29.250 doses para o reforço dos profissionais de saúde e outras 18.720 unidades para a terceira dose dos idosos acima dos 60 anos.

Com estes três lotes, a Secretaria Estadual de Saúde ultrapassa a quantidade de 5,79 milhões de doses recebidas desde o início da vacinação. O RN já alcançou 2,5 milhões de potiguares que tomaram ao menos a primeira das duas vacinas, sendo 1,7 milhão que completaram o esquema de imunização. Mais de 153 mil doses de reforço das vacinas também já foram aplicadas no Estado.

Eu vi na Tribuna do Norte

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios detectado

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.