Golpistas usam nome do sindicato para aplicar golpe em professores da rede pública de ensino no RN 

Professores da rede pública de ensino do Rio Grande do Norte têm sido vítimas de um golpe que se tornou mais frequente nas últimas duas semanas. Por meio de ligação ou mensagem no Whatsapp, golpistas usam um número com a logo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte/ RN), se identificam como diretores ou até usam a foto dos advogados que representam o Sindicato para comunicar à vítima que ela tem dinheiro de um precatório ou de alguma ação judicial movida pelo sindicato a receber. Mas, para que o valor seja liberado, a vítima precisa pagar um boleto ou fazer um depósito.

Nós temos ações judiciais e precatórios a receber, esses trabalhadores sabem que eles têm direito nessas ações e processos judiciais e que, em algum momento, eles vão receber esse valor. Se aproveitando disso, um grupo de pessoas que nós temos denunciado e feito boletins de ocorrência, mas que continua atuando, tem utilizado a logo do nosso sindicato ou do escritório que nos assessora ou mesmo a imagem dos nossos advogados, bem como ligando para as pessoas se identificando com o meu nome ou com o de Fátima Cardoso, dizendo que o precatório delas está prestes a sair e que elas precisam depositar um valor numa conta para isso. Geralmente, eles mandam um boleto do Banco do Brasil, pra fingir que existe realmente um valor a ser pago, e pedem que façam o depósito”, detalha Bruno Vital, Coordenador Geral do Sinte/ RN. 

A direção do Sindicato dos professores alerta que não há qualquer tipo de cobrança para que os associados recebam valores de causas ganhas na Justiça e que, apesar dos avisos, os golpes se tornaram ainda mais frequentes nas últimas duas semanas. 

Algumas pessoas depositaram R$ 2 mil, R$ 3 mil e algumas até R$ 9 mil em pagamento aos golpistas por um dinheiro que não será recebido. Eles, geralmente, dizem que a pessoa tem cerca de R$ 45 mil para receber, nossa orientação é que os servidores não façam esse pagamento e registrem um boletim de ocorrência. Não há boleto ou contribuição que precise ser paga quando o direito for efetivado. O alvará é pessoal, intransferível e entregue diretamente à pessoa. Basta ela ir ao banco para ter a compensação desse alvará, não passa pelo pagamento de nenhuma taxa” alerta Bruno. 

Até o momento, a direção do Sinte/RN já catalogou cerca de 20 números utilizados no golpe. As ações judiciais e precatórios que aguardam julgamento envolvem cerca de 16 mil servidores públicos.

foto: Sede do Sinte/RN I Imagem: reprodução

Saiba Mais RN

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios detectado

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.